---------------------

terça-feira, 3 de julho de 2012

Polícia procura homem que atirou e matou criança de 4 anos; pai promete vingança


O sangue vai dar na canela. Esse foi o recado de Josélio Ferreira de Melo para José Gilvandro dos Santos Barbosa, o “Bode Zé”, apontado como o autor dos disparos que mataram a criança de 4 anos, Jonathan Henrique dos Santos Ferreira, fato ocorrido na noite de domingo, 1, na comunidade Cabral Batista, em João Pessoa.
O recado de Josélio ocorreu durante o velório do garoto numa funerária no bairro de Cruz das Armas. “Prometo que vou matar a família dele. Ele matou meu boy que não fez nada com ele”, acrescentou.

Policiais civis e militares continuam realizando diligências na tentativa de localizar e prender “Bode Zé”. Ontem as diligências se estenderam até a cidade de Lucena, Litoral Norte do Estado. A polícia recebeu informação que ele estava escondido na casa de familiares, no entanto, o criminoso não foi localizado.
Policiais civis das Delegacias de Crimes contra a Pessoa (Homicídios) e Crimes contra o Patrimônio (Roubos e Furtos) conseguiram prender dois suspeitos de participação na invasão a comunidade Cabral Batista. Jeferson Jean Felix de França, o “Caçula”, 19 anos e Felipe dos Santos Trajano, de 20, foram presos na manhã dessa segunda-feira, 2.
Um deles, Felipe Trajano, durante entrevista na Central de Polícia negou participação no crime, no entanto, disse que quando “Bode Zé” for preso e chegar no presídio vai matá-lo lá dentro. “Ele não é homem para mim enfrentar, só tem coragem de matar criança”, disse Felipe, que já tem mandado de prisão por outro assassinato.
A revolta era grande tanto no velório como no enterro do garoto, no cemitério São José, em Cruz das Armas. Não somente a família, mas as pessoas que estavam no local exigiam a prisão do bandido e justiça. “Ele tem que pagar pelo que fez”, disse a mãe do garoto, Rita de Cássia.
“Caçula”, Felipe e um adolescente de 16 anos foram detidos na comunidade Renascer I, no Distrito Mecânico em João Pessoa e afirmaram que “Bode Zé” havia ido a comunidade Cabral Batista para matar o pai do garoto, Josélio Ferreira de Melo apontado como autor do assassinato de um jovem na véspera de São Pedro, primo de Gilvandro.
O delegado Wagner Dorta, da 1ª Região Metropolitana de Polícia Civil, disse que mesmo com a detenção dos três acusados tanto a Polícia Civil como Polícia Militar continuam em diligências na tentativa de localizar outros envolvidos.
Cardoso Filho

Sem comentários:

Enviar um comentário